08/07/2015 | por cleber

Categorias: Últimas Notícias

Catadores de materiais recicláveis se desenvolvem com o apoio do Programa ReDes

Oficina de Comunicação (

Izaías Pereira de Barros, de 30 anos, está animado com os rumos que a Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Várzea Grande (Asscavag) tem seguido. Coordenador dos trabalhos da entidade, ele viu, nos últimos dois anos, o negócio crescer a partir das melhorias executadas com o auxílio do Programa ReDes. Com investimentos de R$ 90 mil vindo do Programa, a Asscavag equipou o galpão de 750 metros quadrados com elevador de carga e prensa para comprimir os materiais e facilitar o armazenamento.

Também foi adquirido um caminhão, o que contribuiu para aumentar os lucros, já que foi eliminado o custo de contratação de transporte terceirizado para fazer a coleta seletiva. “Teve gente que saiu do lixão e veio para cá obter o próprio sustento. Com a ajuda do ReDes, melhoramos as condições de trabalho e agregamos outros catadores, possibilitando a geração de renda de forma mais digna e, consequentemente, mais qualidade de vida”, disse Izaías.

A Associação pretende ainda instalar uma esteira para facilitar a separação do volume coletado. Junto a todas essas aquisições, a instituição recebeu orientação do ReDes para legalizar o negócio e operar com a devida licença ambiental e de operação. Depois das mudanças realizadas, o número de catadores associados aumentou de quatro para 32. A quantidade de fornecedores de material reciclável também disparou: de sete para 40 empresas, entre as quais a unidade de agregados da Votorantim Cimentos de Cuiabá.

Os parceiros são certificados pela Asscavag como organizações que fazem a destinação adequada de materiais recicláveis. A parceria mais recente firmada pela associação foi com uma grande construtora, da capital cuiabana, para fazer a coleta seletiva de nove condomínios em construção. Toda a semana, a construtora envia para o galpão da Asscavag duas toneladas de rejeitos diversos das obras, como azulejos e caixas de papelão. A parceria deve continuar após a conclusão das obras, com a coleta seletiva dos moradores dos empreendimentos construídos.

No total, a Asscavag recolhe por mês 200 toneladas de materiais, principalmente papelão. O volume é vendido para grandes indústrias dos Estados de São Paulo, Mato Grosso e Santa Catarina. “Agora que estamos bem estruturados, trabalhamos para aumentar a coleta de outros materiais, como garrafa pet, plástico e alumínio. Temos um longo caminho a trilhar e estamos animados com as perspectivas de crescimento”, acrescentou Izaías.

O gerente-geral da fábrica da Votorantim Cimentos de Cuiabá, Murrib Moussa lembra que a entidade é referência. “Além de gerar renda e inclusão social, a Asscavag contribui para o desenvolvimento sustentável de Cuiabá e Várzea Grande, sobretudo porque é uma das pioneiras na prestação de serviço de coleta seletiva”, afirmou.

O ReDes 
O Programa ReDes é uma iniciativa da Votorantim Cimentos, em parceria com o Instituto Votorantim e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O Programa executa projetos de economia solidária para estimular a consolidação de cadeias produtivas locais. No Mato Grosso, a Asscavag é uma das três instituições beneficiadas pelo Programa, juntamente com a Cooperativa Agropecuária Várzea-grandense (Coopergrande) e a Cooperativa dos Pescadores e Artesãos de Pai André e Bonsucesso (Coorimbatá). Ambas são também localizadas em Várzea Grande e receberam investimentos para a construção de uma fábrica de laticínios e reforma do espaço de abate dos peixes, respectivamente.

Sobre a Votorantim Cimentos
Presente no negócio de materiais de construção (cimento, concreto, agregados e argamassas) desde 1933, a Votorantim Cimentos é uma das maiores empresas globais do setor, com capacidade produtiva de 49 milhões de toneladas de cimento/ano*. A Votorantim Cimentos possui unidades estrategicamente localizadas próximas aos mais importantes mercados consumidores em crescimento e está presente em 13 países, além do Brasil: Argentina, Bolívia, Canadá, Chile, China, Espanha, Estados Unidos, Índia, Marrocos, Peru, Tunísia, Turquia e Uruguai.
*Excluindo os ativos na China




Os comentários estão encerrados.